Pular para o conteúdo

Rede Latino Americana de Estudos Sobre Trabalho Docente

Brasil

Coordenador (a)

Iana Gomes de Lima (UFGRS)

Subcoordenador (a)

Ana Maria Clementino (UFMG)
Cibele Maria Lima Rodrigues(Fundaj)

Red Estrado no Brasil

O Brasil esteve presente na Rede Latino-Americana de Estudos sobre Trabalho Docente (Rede Estrado) desde sua criação, em 1999, em reunião do Grupo de Trabalho “Educação, Trabalho e Exclusão Social” do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso), realizada na cidade do Rio de Janeiro. Seu primeiro coordenador no Brasil foi o professor Carlos Abicalil, à época presidente da Confederação Nacional de Trabalhadores da Educação (CNTE) que junto com as professoras Alejandra Birgin e Deolídia Martinez (Argentina) e Susan Street (México) assumiram a condução da Rede, que a princípio funcionaria como um espaço de intercâmbio por meio de uma lista de e-mails. O apoio de secretaria a esse trabalho era feito pela Confederação de Trabalhadores da República Argentina (CTERA). A Rede Estrado desde seu início congregou acadêmicos, profissionais e sindicalistas pesquisadores sobre o tema. 

Em 2001, na segunda reunião da Rede Estrado, realizada em Guadalajara, no México, durante a conferência e assembleia do Clacso foi escolhida nova coordenação para Rede Estrado com o compromisso de buscar expandir os contatos na região latino-americana e de propor estudos coletivos e fóruns de discussão. Assumiram a coordenação da Rede Estrado a partir daí os professores Dalila Andrade Oliveira (Brasil), Deolídia Martinez (Argentina), Miguel Arroyo (Brasil) e Susan Street (México). Nesse período foram realizados alguns estudos sobre as mudanças no trabalho docente em decorrência das reformas educacionais nos diferentes países da região e seus efeitos sobre a saúde desses profissionais. Esses estudos geraram publicações em diferentes revistas acadêmicas no México, Argentina e no Brasil. 

A partir de 2005, a secretaria da Rede Estrado foi transferida para o Grupo de Estudos Sobre Política Educacional e Trabalho Docente da Universidade Federal de Minas Gerais (GESTRADO/UFMG), coordenado pela professora Dalila Andrade Oliveira. 

O Brasil começou em 2002 a realizar seus encontros nacionais, dada a propagação da Rede pelo país, envolvendo um número considerável de participantes. Sediou também três seminários internacionais da Rede Estrado (Belo Horizonte, 2002; Rio de Janeiro; 2006 e Salvador, 2014), além da reunião de sua criação (Rio de Janeiro, 1999). No seminário internacional da Rede Estrado realizado em Lima, Peru, em 2010, foram criadas as coordenações nacionais. A partir desta data, o professor Álvaro Hypólito (UFPel) assumiu a coordenação da Rede Estrado Brasil, tendo a secretaria permanecido no GESTRADO/UFMG.

A cada dois anos a Rede Estrado Brasil realiza seus encontros nacionais em diferentes universidades do país, com destaque para o IV Encontro realizado em 2011 em Maceió, na Universidade Federal de Alagoas, no qual ocorreu ao mesmo tempo o I Encontro Luso-Brasileiro sobre Trabalho e Formação docente numa parceria com a Universidade do Porto (Portugal). Dois anos depois, 2013, foi realizado o II Encontro Luso-Brasileiro sobre Trabalho e Formação docente na Universidade do Porto (Portugal) em parceria com a Rede Estrado.

Em 2017, no IX Encontro realizado em Campinas, na UNICAMP, a coordenação da Rede Estrado Brasil foi ampliada, tendo sido composta pelos professores: Álvaro Hypólito (UFPel), Ana Maria Clementino (UFMG), Aparecida Neri (UNICAMP), Catarina Almeida (UNB), Eliza Bartolozzi (UFES), Gilmar Soares (CNTE), Viviane Toracci (Fundaj). No X Encontro realizado em Recife, na UFPE, em 2019, a coordenação da Rede Estrado Brasil foi novamente redimensionada, considerando a participação e envolvimento dos seus integrantes, passando a estar composta por: Álvaro Hypólito (UFPel), Ana Maria Clementino (UFMG), Aparecida Neri (UNICAMP), Gilmar Soares (CNTE). 

A Rede Estrado Brasil continua a contar com o apoio do GESTRADO/UFMG agora compartilhado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais (NEPE/UFES) desde que a professora Eliza Bartolozzi Ferreira passou a integrar a coordenação geral da Rede Estrado internacional.